terça-feira, abril 05, 2005

As fotos

Depois de muito pensar e discutir o assunto com o meu JP decidimos manter as fotos dos nossos pequeninos no Blog. Para além de querer mostrar ao mundo que os meus filhos são os mais lindos, não me parece muito útil esconder-lhes a face sem os ensinar a protegerem-se.
Acima de tudo, o importante é tornar o ambiente em que vivem o mais seguro que conseguirmos, ensiná-los a pensar por eles mesmos, responsabilizá-los pelas suas acções e dar-lhes a maior autonomia possível. Tentamos também passar-lhes a ideia de que os monstros existem, estão é disfarçados de humanos.
Apesar de estar consciente do mal que grassa no mundo, penso que não surgiu agora e que as hipóteses do monstro ser o vizinho do lado, o tio afastado ou o homem da padaria são bem mais assustadoras. Assim, mais do que proteger os meus filhotes sinto necessidade de os ensinar a protegerem-se.
As consequências desta nossa ideia surgem ao nível da autonomia: quase com nove anos, o João telefona-me duas vezes se fica uma hora sozinho em casa e recusa-se a ir sozinho ao ecoponto que fica no final da rua. Segundo ele tem medo de ser raptado.
Estamos a fazer um esforço diário para torná-lo mais autónomo, mas também estamos conscientes de que somos muito falíveis. Não pretendo ser a melhor mãe do mundo, mas tento ser a melhor mãe que consigo.

2 comentários:

Ana Rodrigues disse...

Olá Elora,

vim aqui parar através do comentário que deixaste na Maria João, no reino da confusão.

Depois de ter meditado um pouco sobre o assunto que tem assolado a blogoesfera, vou fazer como tu, vou manter as fotos.

Afinal de contas quem é que garante que qualquer, mas qualquer pessoa, ao passar por um dos nossos filhos não lhes tira uma foto com o telemóvel?

Se formos a stressar desta forma, então mais vale não sair de casa, e fecharmos os estores, não vá alguém captar alguma fotografia com uma câmara XPTO.

O que importa é que sejam ensinados, o melhor que conseguirmos, a defenderem-se do mundo que os rodeia, não é?

beijinho

mood disse...

é a melhor maneira (parece-me) de ser pai e mãe. Consciente dos perigos mas sem os colocar numa redoma. Há que dar-lhes ferramentas para aprenderem a se proteger. é assim mesmo!

Bjinho grande