sábado, junho 30, 2007

Alfinete no Deserto

Alfinete tem de atravessar um deserto. Não foi uma escolha dela, ninguém escolheria atravessar um deserto. Não foi sequer um risco calculado, Alfinete nunca se arrica, conduz sempre dentro da sua mão e cumprindo todas as regras, foi o chamado "azar do caraças". Alfinete esteve no sítio errado, à hora errada, com as pessoas erradas e nem sequer sabe quando é que isso aconteceu. E agora tem o raio do deserto para atravessar. A raiva por vezes cresce dentro dela e parece querer suplantar o desespero. É tão injusto ser com ela, tão injusto ter de o fazer!
E depois é desconfortável, o calor aperta de vez em quando, há que beber muita água, há que medir cada passo, há que seguir o mapa de perto. Mas o pior é a seca. Descomunal seca. E a prisão, os limites. A única coisa que torna tudo suportável é que o deserto tem fim, há vida para lá do deserto e há amigos também, que estão com ela. Sempre!

11 comentários:

deKruella disse...

Alfinete tem que ter atenção...porque não sendo uma escolha dela...algo a levou a ter que atravessar o deserto. Alfinete tem que ser forte porque apesar de saber que no fim da viagem lá estarão os amigos o certo é que ainda a tem que fazer. Alfinate tem que se preparar porque no futuro ainda vai ter que fazer essa travessia muitas vezes...sozinha...porque os limites estão sempre lá e ela não tem outro remédio que passar por tudo uma e outra vez ;)

Luis Pestana disse...

Dentro dos amigos dela estava algum dos yes-man do Paulo Portas?

;)

Elora disse...

Kruella: acredita que é mesmo como eu digo. A não ser que acredites em intervenção divina e nesse caso nem vale a pena falar do assunto. E, não, esta viagem é única, sem repetições.

Luís: pois que não faço ideia. Sabes que as pessoas nem sempre aparentam o que são.

vitor disse...

AVISO: Segue-se piada triste, que no entanto não deixa de ser tentativa para fazer sorrir Alfinete.

Alfinete mudou-se para a Margem Sul?

Depois não digam que não avisei...

Miguel disse...

Estamos e estaremos SEMPRE com a nossa alfinete!! Eu sei, tu sabes e a alfinete sabe? Espero que sim porque estamos cá por ela e para ela... da minha parte quer ela tenha culpa (que definitivamente não é este o caso!) quer não tenha culpa. O deserto, o mar, o oásis... seja o que for, só faz sentido se tivermos com quem partilhar... mesmo nas travessias mais duras, mesmo nas mais difíceis...principalmente nessas...

beijokas para todos,
Ana Abreu

Elora disse...

Vitor: parecido, mas ao lado.

Ana: acho que ela sabe. se não sou ber vai ficar a saber, garanto-te,

Beijinhos.

Vanadis disse...

Bem, acho que ainda n�o venho aqui h� tempo suficiente para ter a certeza que percebi a travessia da Alfinete. Ou se a Alfinete �s tu ou uma filhota. De filhotas s� percebo na perspectiva de ser uma...e por vezes as filhotas t�m de atravessar os desertos sozinhas. Custa, d�i e m�i. Mas no fim, quando o o�sis � avistado, sabe bem ter atravessado um deserto por nossa conta. Sabe bem saber que at� nos sabemos desenrascar sozinhas.
Isto se � que n�o percebi tudo ao contr�rio...

Anónimo disse...

Todos temos um pouco de Alfinete em nós e, por vezes a travessia no deserto é fundamental para crescermos, desde que não seja por demasiado tempo, senão acabamos por nos esquecer de tudo resto.
Carla

Elora disse...

Vanadis: não sou eu nem a minha filha, mas é alguém a quem pertence parte do meu coração.

Carla: verdade, mas há desertos mais desertos.

BlueAngel disse...

Força para a travessia então!!!!:-)

Vanadis disse...

è como diz blueangel: FORÇA!