quarta-feira, junho 20, 2007

Tortura

Ontem estive hora e meia numa sala, sem poder falar, ler, escrever ou usar o telemóvel, na companhia de um colega que parecia ter saído directamente de um anúncio da gillette, daqueles de fazer parar uma casa cheia de mulheres. Portanto havia que ficar por ali, uma vez que sair da sala era expressamente proibido, e olhar em volta, para a chuva que caía lá fora, para o tecto, para as calças de ganga... para a chuva, para o tecto...
Ok, de vez em quando lá me lembrava dos treze adolescentes que por ali faziam exame de Língua Portuguesa e que havia que vigiar. Mas convenhamos, quem é que consegue vigiar o que quer que seja em condições tão adversas?

8 comentários:

Sofia disse...

Gostei da etiqueta: pão!

Encontram-se poucos desses nas escolas por onde passo... ;)

deKruella disse...

Ai credo mulher...nem uma troca de palavras? Um sorriso?
Olhar para o tecto...ai credo...e os miúdos não copiaram? Tecto? ai aiaiaiaiaia e ele também olhava para o tecto? Para onde olhava ele?
ehehehehehe se souberes...
é porque de vez em quando o tecto...desviava-se ;)

BlueAngel disse...

Quão difícil é a vida de professor neste país. Devem ser por isso que fazem greves lol Não podiam falar? Bem feita, é para verem o que sofre um aluno durante uma aula inteirinha em que não pode tirar uma dúvida com o colega do lado. Ponham-se no nosso lugar lol Sim, às vezes do colega do lado é gro tb. lol

Elora disse...

Sofia: a minha escola este ano é padaria. O moço não é o único.

Kruella: Sei lá se os miúdos copiaram. E também não sei para onde olhava ele.


Angel: vingança manhosa.

SOL disse...

Ele há pessoas que realmente, se queixam dos "empregues"...



em 400 pessoas que trabalham no meu estaminé, para aí um ou dois ajudam à terapia ocular... isso é que são condições adversas,pá!

:))

Elora disse...

Sol: tens razão, condições piores que as minhas.

a disse...

Eu sabia que devia ter vindo aqui há mais tempo...
Uma padaria?!
Só agora é que dizes?!
Quando é o próximo concurso???

Elora disse...

Vês, vês? Quem foi ao mar...