terça-feira, julho 24, 2007

Imagem

Parece impossível como por vezes uma cadeia de acontecimentos trágicos pode ser desencadeada com uma frase tão simples como:


"Enviei-te um mail para o naoqueroescrever@gmail.com".


Até agora nada de anormal. Vou ver. O texto diz: "Eu sei que não querias, mas acho que a foto apanhou bem o momento!". Olho horrorizada para a foto que acompanha o texto. Shit! É o pensamento que de imediato me invade o cérebro e que passo a transmitir à minha interlocutora via MSN.


Abro a foto. Não quero acreditar. "Andas com problemas de auto-imagem" tem-me dito o psicólogo cá de casa. Não fui eu que tirei a foto. É uma hetero-imagem. Também ando com problemas de hetero-imagem. Graves. Olho melhor. O cabelo está esquisito, não se vêem os caracóis, mas está com uma cor estranha. Está desbotado.



Deve ser de o pintar, de vez em quando, com aqueles produtos que vão saindo. Parece que sempre vai ficando alguma coisa. Ou então é do Sol. Vou até à casa-de-banho. Tenho um desses produtos debaixo do lavatório há quase três meses. Comprei-o, mas não me tem apetecido usá-lo. Foi uma compra impulsiva, noutra dessas crises de auto-imagem. Ou nesta, na volta é uma crise longa. A caixa é verde, acho que nunca usei esta marca. Acabo por comprar sempre a mesma cor, um castanho igual ao meu, mas com uns reflexos avermelhados. Vou preparando o produto e reparo que a cor do creme é diferente do habitual. Branco sujo. Costuma ser mais escura, beje e depois vai escurecendo até ficar laranja muito escuro. Agito o frasco.
Olho-me ao espelho. Não gosto da imagem. Começo a aplicar o creme, que vai escurecendo. Parece estar a ficar rosa. Gosto desta cor, faz lembrar gelado de morango. Não é bem rosa, é mais lilás, como as senhoras de idade costumavam por no cabelo quando eu era pequena. Continua a escurecer. Purple é a palavra que me vem à mente. Penso na palavra portuguesa para esta cor. Beringela. Como o cabelo da minha colega C.. Reparei ontem que o pintou de Beringela. Lembro-me de ter pensado claramente: "Aí está uma cor com que nunca pintaria o cabelo..." Paro de pintar. Nunca. Um enorme fatalismo abate-se sobre mim.
Procuro frenética o nome da cor: "Acajou avermelhado." Que raios quer isto dizer? Costumo comprar pela cor da foto, não pelo nome. Não há-de ser nada. Olho-me ao espelho. Roxo é agora a cor. É só lavar muito. Normalmente sai em 8 a 10 lavagens. Procuro na caixa o número exacto. Não encontro. Diz apenas "coloração permanente". Sinto um calafrio. Resta-me esperar meia hora. É o que faço enquanto escrevo isto.
Penso na cara do psicólogo quando chegar a casa. "Andas com problemas de auto-imagem." Isso e caracóis roxos.

6 comentários:

vitor disse...

Chiça!

Ainda por cima "Acajou avermelhado"! What the f**k?

bagaco amarelo disse...

hum... as fotografias com máquinas automáticas têm quase sempre desvios na temperatura de cor e no contraste. Não as leves a sério.

Escalla disse...

Não acho normal que julgues a tua cor de cabelo por uma foto tirada á pressa com más condições de luz... tsk tsk tsk...
Recuso-me a tomar responsabilidades, relembro-te para tomares em atenção que o objectivo real da foto era a tua expressão facial que estava fantástica... e não a cor do teu cabelo sobre as luzes artificiais da Bertrand...

Vanadis disse...

Mas não há nada de errado com a cor do teu cabelo!! è um cabelito castanho binito, igualzinho ao meu!! =)

Também costumava pintar o cabelo de vermelho. Fui a todos os vermelhos, incluindo o acajou avermelhado, que é assim para o vermelho arroxeado, ou arroxeado avermelhado. Mas é uma cor binita que fica bem às morenas!

E então, como é que ficou? Como te sentes com esse visual? Se não gostas, zarpa para o cabeleireiro que eles ajudam-te e tiram-te isso. Que é como quem diz, descoloram e voltam a colorar. Penso eu. Não vou dar cabelos na cosmetologia (o que significa que não vou estudar a fundo o assunto, isto é apenas conhecimento por já me ter fartado de pintar o meu)...LOL!
Depois comecei a pintar de castanho escuro. Mas, azar o meu, o sol "abria a cor" e a coisa passava logo a cor de laranja. Resultado, um ano a pintar com aqueles que saem em lavagens, para disfarçar o vermelho. E há uns bons 4 anos que não pinto o cabelo com nada, de tal maneira que já tenho a minha cor outra vez (o cabeleireiro disse-me que eu não ia conseguir aguentar qd visse as raizes, mas eu até achava que as raizes nem eram nada de especial e aguentei, toma, perdeste a aposta luís!).
Portanto, isto tudo para dizer que isso tem solução, se não gostares do resultado.
Problemas de auto-imagem? Não te conheço o suficiente para concordar ou discordar, mas pintar o cabelo geralmente é um gesto de vaidade.
Mas se tens por base uma foto que pelos vistos não transmite a cor e a realidade (e as luzes das bertrands são pessimas) e achas que o problema está no teu cabelo e não na foto...olha, a primeira coisa que pensei quando vi a foto, foi, olha, a elora é parecida com a Lupi. A Lupi é a minha cunhada. É é lindissima. =)

Elora disse...

Vítor: muito estranho.

Bagaço: muito tarde para não levar a sério.

Escalla: A sorte foi não ter um cirurgião plástico no armário debaixo do lavatório. Não fazes ideia do que aconteceria à expressão facial.

Vanadis: És uma querida! Na foto não dá para ver, mas acredita que não me pareço nada com a tua Lupi, como quer que ela seja. O cabelo aguenta-se bem, obrigada.

BlueAngel disse...

foste buscar um post antigo e eu reconheci-o nas primeiras linhas. :-D fui ver a data: julho de 2007. Tanto tempo que já passou e tanto que já criámos e fizémos. quem diria?
Lembro-me de quando li este texto pela primeiras vez, mas voltaste a fazer isso ao cabelo? :PPP