sexta-feira, agosto 26, 2005

Partir


Vou-me hoje embora da odiada vilazinha, depois daquelas que serão, possivelmente, as últimas férias na casa onde os meus pais viveram quase 30 anos. É uma casa grande, com um enorme terreno à volta, com relva e árvores de fruta. No Inverno é fria e húmida e costumo ficar doente só de cá dormir. No Verão é fresca, agradável e com muito espaço para as crianças correrem.
Agora vai ser vendida, por ser muito grande e muito cheia de recordações felizes de dias que não voltam, quando era habitada por um homem grande, de olhos quentes e sorriso fácil. Não vou sentir saudades da casa como ela é agora, mas vou sentir saudades da casa como foi, quando nos sentávamos na cama dos meus pais ao Sábado de manhã a ouvir o Pão com Manteiga. Ou quando nos reuniamos à volta da enorme mesa da casa de jantar, a festejar alguma coisa (muitas vezes o simples facto de estarmos juntos) e a comer a inevitável Sapateira à Moda do Pai e as benditas gambas, que a minha Mãe já não podia ver à frente.
De certa forma, o Verão passado teve mais sabor a último.

2 comentários:

HOPE disse...

Obrigada pela força. Correu tudo bem!

Bjs HOPE

João Pedro Vasconcellos disse...

Bem me lembro desse último verão. Beijos e força!