domingo, julho 15, 2007

Ser Invejosa

Nestas lides blogueiras fui recentemente posta perante uma definição de diccionário da palavra Inveja. Ora eu, que me tenho por relativamente esperta, já há uns tempos que tinha percebido que nem toda a gente partilhava o meu conceito de inveja. A verdade é que quando aprendemos a falar não o fazemos com um diccionário atrás e o significado que damos aos termos depende do contexto em que são usados, do que nos explicam e das nossas próprias experiências. Acontece que eu sou uma optimista nata e tenho a mania de julgar o melhor das pessoas. Ainda hoje a ideia de desejar mal a alguém é, para mim, inconcebível.
Sempre usei a palavra inveja como sinónimo de querer algo que outro tem. Não com raiva ou cobiça. Muitas vezes até como sinónimo de alegria pela felicidade dos outros, a pensar "Que bom! Também quero". Um exemplo disso aconteceu aqui, aqui e aqui. Quero um bebé mas não fiquei nada triste pelas minhas amigas estarem grávidas, antes pelo contrário. Queria ter estado grávida com elas, para podermos curtir o estado juntas. Não pode ser, mas curti na mesma, adoro ser tia.
Por outro lado não sou muito dada a superstições e embora já tenha percebido que há muita gente com medo da palavra inveja, continuei a usá-la porque não tinha outra. Agora percebi que o uso indiscriminado da referida palavra pode levar a sentimentos de desconfiança e medo. Portanto resolvi parar de a usar, sendo que agora a minha dúvida é: que palavra uso para este sentimento? O que é digo para dar vazão a este sentimento de "Estou feliz por ti, quero o mesmo"?

12 comentários:

bagaco amarelo disse...

hum... elorinha... mas mesmo que não se cresça com um dicionário no bolso, cresce-se num mundo onde a inveja tem éne, mas éne mesmo, interpretações tramadinhas. Basta veres que é um dos sete pecados mortais de Bosch, um dos sete pecados capitais do catolicismo e, um dos sete pecados do Seven, do David Fincher... :)

Vanadis disse...

Ah pois, invejas há muitas...por acaso sempre a tive em alguma má conta. Mas as palavras podem não ser utilizadas no seu sentido literal...por ex, quando uma amiga me levou a ver o seu novo apartamento e me perguntou o que achava eu dele, eu disse-lhe que estava a morrer de inveja dela. E ela entendeu o que eu queria dizer!
Agora, a inveja em si, enquanto sentimento de cobiçar o que não é nosso, pode levar-nos a querer mal a outrém...já vi isso acontecer, e entre irmãs...uma tem tanta inveja e ciúmes da outra que começou a desejar-lhe mal...
Quantoa desejar mal a outrém, eu tb sempre achei que era impossivel odiar alguem a sério. Até que um dia, depois de dois anos a ter de lidar com um drogado psicopata mentiroso (que chegou a fazer ameaças), entendi muito bem o que era sentir ódio puro por alguém...

BlueAngel disse...

És uma afortundada por ainda hoje a ideia de desejares mal a alguém ser inconcebível para ti. Quem me dera ainda ter essa pureza de sentimentos, quem me dera... Infelzmente, roubaram-ma há uns tempos e não me parece que vá desaparecer. Compreendo bem a inveja do que é bom, também a tenho, às vezes. beijocas larocas com amizade :-)

Elora disse...

Bagaço: nunca acreditei muito em pecados. Falta de fé ou algo assim.

Vanadis: consigo não gostar, com muita força. Uma vez já detestei e senti mesmo vontade de bater. Desejar mal ainda não. E depois a vida é curta, pode ser que não seja preciso.


Angel: Tenho sortes pequeninas.


Mas ninguém respondeu à pergunta: Que palavra uso?

BlueAngel disse...

Usa a palavra que sempre usaste e sê a tu primeira a começar a dar-lhe um sentido menos perverso e maléfico. E já agora, também tenho sortes pequeninas, felizmente!!!

Anónimo disse...

Entendo perfeitamente este conceito de inveja saudável, mas a verdade é que a maior parte das pessoas vê a inveja pelo seu lado negativista. Certo dia numa discussão sobre este tema resolvi apagar essa palavra do meu discurso e substitui-a por uma outra - zelotipia. Não te rias, pois a escolha resultou de uma vasta procura e, para além disso, as pessoas ficam na dúvida se a palavra é doce ou azeda.
Quanto a mim continuo a pensar em termos de inveja saudável e vou-me rindo um bocadinho com o desconforto que provoco.
Boa semana
Carla

Vanadis disse...

Olha, eu continuo a usar a palavra inveja sem malícia...mas para evitar malentendidos, que tal "invejinha"?

Mamaíta disse...

A palavra nao sei... Mas dessa in... tb sofro eu...

Beijinhos :)

deKruella disse...

hummmm...pode ser inventada agora aqui à pressão?
Hummm...xa ver...ai jasus que pressão...xa cá pensar....
feltuquemoiz...que achas? é mt grande? Se for considera só...feltuiz

mas olha que zelotipia tb tá muito bem

deKruella disse...

hummmm...pode ser inventada agora aqui à pressão?
Hummm...xa ver...ai jasus que pressão...xa cá pensar....
feltuquemoiz...que achas? é mt grande? Se for considera só...feltuiz

mas olha que zelotipia tb tá muito bem

vitor disse...

Óptima ideia.

Até porque a maior parte das pessoas usa a palavra Inveja no "mau sentido".

Viva a boa inveja!

Elora disse...

Vistas todas as ideias acho que vou optar mesmo pela Zelotipia. isto partindo do princípio de que me vou lembrar de todas as sílabas quando a ocasião surgir. Feltuiz ficou em segundo lugar e invejinha em terceiro. Sinceramente invejinha dá uma sensação um bocadinho mesquinha. Ou então sou eu que gosto pouco de diminutivos. Obrigada a todos pelas ideias.