quinta-feira, fevereiro 28, 2008

Ar

Uma vez disseram-me "És transparente, não és?" Não! Respondi chocada. Até acho que não é assim tão fácil lerem em mim, a não ser que me conheçam muito bem... Ou então não...
Hoje sinto-me assim, transparente, invisível. Não no sentido de revelar o que me vai dentro, mas no sentido de não me verem. Sinto que estar presente não faz diferença. Calar ou falar é igual. Eu sei, todos temos momento de não sirvo para nada, não me ligam nenhuma, não gostam de mim. E nem costumo ter esta vertente Calimero.
A culpa é de certeza da Primavera, que tarda em chegar.

2 comentários:

BlueAngel disse...

Opá a deixa do Calimero é minha tá??? Ai a menina mana, ai ai... amanhã já passa. beijocas larocas com amizade (mas pq raio os meus comentários andam tão parecidos por estas bandas? Pq tb devo andar com ares de Calimero é o q é. )

Ofland disse...

Sentir-se transparente a 28 de Fevereiro e, mais recentemente, a 31 de Março (sim, porque eu estava lá) pode constituir um indício de rotina que dá para aproveitar.
Já viste o que podes gozar ao saber antecipadamente que te vais sentir transparente lá para 30 de Abril?

Cá está o primeiro comentário idiota, inconfundível, caso ainda estivesses com dúvidas!

Finalmente, o "parece-me bem" já está a tender para o "bom".

E agora não me apetece escrever mais...