quarta-feira, abril 30, 2008

Sem Tempo

Estou farta de falar do Tempo. Por mais que nos últimos dias sinta que cada vez mais o clima me espelha a alma e por mais que me seja fácil encontrar nele as analogias que me escondem os sentimentos, estou farta. Apetece-me escrever com palavras matemáticas, claras, directas, certeiras. Palavras cirúrgicas, que vão directas às dores e as amputam. E depois não posso, porque este é um blog de família e não uma parede de casa-de-banho, porque na verdade as dores não são localizadas, mas sim gerais e para as amputar iria danificar-me ao ponto de ficar irreconhecível. Se bem que, às vezes, nem me importava de não me conhecer.

3 comentários:

Of disse...

Creio que palavras como: "Faço todo o serviço 98 932 75 67" ou "Só camionistas 92 345 56 12" são, de facto, matemáticas, claras, directas e até cirúrgicas. E encontram-se nas paredes das casas de banho!
Não creio, porém, que sejam atenuantes de dor!
Portanto, deixa-te de coisas e escreve mais, que não ficas irreconhecível, descansa.

:-)

Sonya disse...

Por vezes o escrever alivia a dor... e nunca uma amputação tira a dor que se sente...talvez esse não seja o caminho que deves seguir...(digo eu. mas eu nada sei) Deita cá para fora o que te vai na alma...e o blog é para familias, mas os putos não sabem ler!! :p

mac disse...

Analisa. Não retrates, pinta. É mais difícil e requer algum esforço mas é também mais eficaz.

Além de que tudo se pode dizer a todos, se for com as palavras certas.

Funciona comigo, talvez valha a pena tentares.