quarta-feira, outubro 15, 2008

Palavras Roubadas à minha boca III

Eu ia e tirava (ou como eliminar o pneu e rodar sobre a jante)

Noutro dia, numa conversa à mesa, durante o almoço, comentaram comigo que devia tirar. Aproveitava uma ocasião propícia e pronto, aproveitava para tirar. Entretanto, falou-se também de uma outra pessoa com o mesmo problema: o de precisar de tirar. E, como tem dinheiro, nada a impede de ir e tirar. Sabe-se lá por quê. Do que ninguém se lembrou foi de pensar se isso é realmente importante para as visadas. Se estou feliz assim, ou se a outra também está. É indubitável que se sofre com isso. É um fardo que nos acompanha, é uma fama que nos persegue, é uma sombra que nos faz sobressair do resto do mundo.

Sou grande, pronto. Já nem se põe a questão de ter um pneu aqui ou ali. Toda eu sou uma câmara de ar, embora esteja aí para as curvas. Elas estão lá, mas inflaccionadas em todo o seu esplendor. E toda a gente me aconselha a desapertar o pipo e a deixar sair o ar. O que já fiz vezes sem conta, para voltar sempre ao estado inicial, ou pior ainda. Ou, como agora está na moda, a recauchutar o pneumático.

Mas eu não estou para isso. Depois de várias tentativas para despejar o ar (com sucesso, diga-se), quando se precisa de voltar ao dia-a-dia, torna-se extremamente incómodo rodar sobre a jante e acabamos por tornar a encher o pneu. Até porque este se estraga com tanta instabilidade.

A alternativa também não me agrada, porque um pneu recauchutado deixa de ser a mesma coisa. Não tem a mesma qualidade. Só sente quem tem de rodar com ele a vida inteira.

(escrito em 23·07·04) posted by Rosmaninho

4 comentários:

BlueAngel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
BlueAngel disse...

Bolas, Rosmaninho/Maggie, e tu ainda tinhas pneu para rodar tantos e bons anos!!! Eu tenho e fico com o meu!!! :-)

mac disse...

Rosmaninho? Em Julho de 2004?!?

Devo ter-me enganado no endereço, quem eu vim visitar foi uma fina ladra de pensamentos, uma sobrevivente da vida, uma janela aberta no inverno de 2008...

Volto outro dia. Quem sabe a Elora já voltou de férias e com ânimo para ripostar à tempestade e responder à letra ao vento uivante?

Hélas!

BlueLightSpecial disse...

Ai que bommmmmmm, afinal somos mais no mesmo clube! A minha boneca é uma falsa, ali toda para as curvas das boas, a dona já precisava de tirar uns quantos pneus, pois precisava!
Tantas palavras roubadas da minha boca (soubesse eu escrever com este sentido de humor e escrevia um livro! :P)